O que procuramos num novo smartphone, numa época em que todos se assemelham e em que os segmentos se mesclam? No meu caso, procura uma diferença, apenas uma, mas que valha a pena. E o OPPO Find X3 Pro 5G tem essa diferença.

Vale a pena apostar numa diferença?

Pois é aqui que entra o racional para dar cabo do desejo emotivo e, por conseguinte, de pré-compra ou reserva: o OPPO Find X3 PRO (Find X3P) aposta num design exclusivo (ou se adora ou se detesta), faz gala de um rol de características técnicas mas, e acima de tudo, uma das objectivas é uma Super Macro a que chamam Lente microscópica. E, acreditam em mim, faz a diferença.

Analise OPPO Find X3 Pro 5G 1
Um ecrã fabuloso

O coração

Para que não existam dúvidas, a OPPO equipou o seu novo topo de gama com o melhor que há no mercado: processador snapdragon 888, 12 GB de RAM e armazenamento com 254 GB UFS 3.1.

A bateria tem 4500 mAh que são mais que suficientes para um dia com utilização profícua, mas se for necessário, o carregamento pode ser feito sem fios (a 30 W) ou com o carregador de 65 W o que garante carga total em apenas 30 minutos. O Find X3 Pro também permite carregamento reversível.

É também Dual Sim para quem precisar de dois números ou de dois tarifários.

Análise OPPO Find X3 Pro 5G
Câmara quádrupla com um twist

Microscópio de trazer no bolso

Muitas das características inovadoras com que as marcas aliciam os potenciais clientes, e que divulgam em publicidade e promoção, são, na maior parte das vezes, um show off que pouca utilidade tem.

Por exemplo, um Zoom de 100x com qualidade manhosa no seu final, nunca será utilizado no dia a dia, nem mesmo no mês a mês. Serve para mostrar aos amigos o “factor cool”, mas depois fica arrumado “na gaveta”.

O que distingue o Find X3P desta conclusão é que a objectiva super macro é algo espectacular de se usar em muitas alturas, principalmente se começarmos a entender o ponto de foco ideal, algo que não é fácil e obriga a uma mão apoiada para evitar qualquer tipo de tremor.

Mas uma vez apreendida a técnica, estou convicto que esta diferença será bastamente utilizada. Bom, falo por mim, pois usei e abusei e tive pena de me despedir dele quando o devolvi à origem.

Finalmente, um smartphone conquistou-me por oferecer algo que considero um plus no meio de tanto topo de gama. Sim, não se iludam, este OPPO pertence à categoria e o preço demonstra essa realidade.

O design

Podemos optar por duas cores, o preto brilhante e o azul mate. Ambos são muito bonitos, mas enquanto o preto é um íman para dedadas e poeiras, o azul consegue ficar imaculado por muito tempo. Não teria dúvidas em escolher este último.

Contudo, e antes que me esqueça, este Find X3P tem uma caixa cheia de bons acessórios, como um “brick” de 65W (já lá vamos), cabo, auriculares e uma capa que merece elogios, tanto pelo toque, um silicone muito suave, como pelo acabamento, pois tem as mesmas curvas do corpo metálico do Find X3P. E se foi difícil para os engenheiros conseguirem criar um molde com estas características, estão duplamente de parabéns por terem acertado na capa de protecção.

Ler análise ao Oppo Reno 4 Z 5G

Agora sim, o design: é notória a diferença (afinal há mais) do corpo na sua parte traseira. A secção das câmaras está envolvida pela tampa traseira, de tal forma que nos consegue chamar imediatamente a atenção devido à ausência de arestas. Ou seja, não temos um módulo saliente que ocupa 1/3 ou ¼ da traseira mas isso não significa que o Oppo não seja bamboleante ao escrever uma mensagem quando pousado na mesa.

A marca diz que este design é inspirado na exploração espacial e o desenho límpido, não sei porquê, mas até acredito.

Sou sincero, gosto muito do design deste Find X3P. Mas sei que não é unânime, pois algumas pessoas não se deixaram encantar, dizendo até que era um pouco estranho, quase como se fosse um “corpo orgânico”. Percebi onde queriam chegar.

Análise OPPO Find X3 Pro 5G

Utilização

É, posso dizer, dos smartphones mais confortáveis de usar que tenho experimentado nos últimos tempos. E o “grip” melhora com a tampa de silicone, pois a versão que me calhou para análise, para além de muito brilhante, também é um pouco escorregadia.

Em vidro Gorilla Glass 5 e estrutura em alumínio, é mais leve do que parece e o X3 Pro já tem uma película de protecção TPU bem aplicada no ecrã que, avanço já, dá gosto olhar e tocar.

Antes de mais, uma crítica positiva e outra negativa: o sensor de rosto é extraordinariamente rápido o que faz dele o principal sistema de desbloqueio. Já a impressão digital, no ecrã, está colocada abaixo do que é normal, quase a tocar a base, o que obriga a uma ginástica extra com o polegar.

O Oppo Find X3 Pro destaca-se pela qualidade de imagem… e som.

Não é todos os dias, ou melhor dizendo, não são todos os smartphones que nos oferecem uma excelente qualidade de imagem com som a condizer.

Ora vejamos: o ecrã, ligeiramente curco nas laterais, é WQHD+ com 3216 x 1440 pixels de resolução em 6,7” LTPO AMOLED que garante um brilho máximo de 1500 nits. Os parâmetros de origem são mais “poupados”, ou seja, apresenta-se com 2184 x 1080 e 1300 nits o que é mais que suficiente.

Outra razão que levou a OPPO a gastar rios de dinheiro na promoção deste Find X3 Pro é a certificação HDR10+, cobertura do espaço de cor DCI-P3 a 100% e, atenção, reprodução de conteúdos a 10 bit. Uau!

O futuro Oppo X 2021 terá ecrã extensível

A taxa de actualização é de 120 Hz mas ajustável automaticamente, conforme as necessidades, o que poupa recursos como a RAM e a bateria. Quase nem damos pela mudança de parâmetros (que começa nos 10 Hz) quando passamos da leitura de um email à jogatana mais radical.

O som é estéreo com duas colunas com alta resolução e chega a entusiasmar com algum punch nos graves e uma nitidez fantástica, óptimo para reuniões online, visto que os microfones e a câmara frontal ajudam ao processo em qualquer situação.

Análise OPPO Find X3 Pro 5G
Câmara frontal

As câmaras e o já famoso microscópio

Pois é neste campo que o Find X3 Pro brilha por ser diferente dos demais. Não em relação às três câmaras principais (grande angular com 50 MP, ultrawide também com 50 MP e zoom 3x com 13 MP), mas uma pequenita janela de apenas 3 MP que se apresenta como Macro mas é Micro…scópica. A câmara frontal é uma grande angular com 32 MP e dá muito boa conta de si.

Em fotografia e vídeo, os resultados são acima da média e não perdem muito para os topo de gama fotográficos como o Samsung S21 Pro, pois usa sensores Sony IMX766.

Coisas mesmo boas? Que tal a gravação de vídeo até 4K com 60 fps? Pois é.

Mas também útil e que foi inspirada nos Galaxy S21, temos o modo de vídeo de vista dupla, ou seja, usa a câmara frontal (e microfone) para nos filmar e simultaneamente a câmara traseira para filmar quem está à nossa frente ou a paisagem que estamos a ver.

Este modo também permite um PiP (picture in picture) em que podemos escolher uma das vistas em quadrado ou num circulo.

Confesso-me fã deste modo que me leva quase a trocar de smartphone para um que o tenha

Há mais modos, desde a câmara lenta ao time lapse, scanner de texto, filme, perito, panorama e o microscópio. E claro, não podia faltar um modo especial para a Noite até com um “modo tripé nocturno”, ou seja, muito semelhante ao processo da Huawei nos seus P e Mate.

Fotografias “microscópicas”

É este o modo mais original do OPPO que vai dar que pensar à concorrência. A câmara de 3 MP tem um anel LED que ilumina suficientemente o que queremos captar. E sim, captar e não fotografar porque, como podem ver nos exemplos, descobrimos novos mundos em tudo o que conseguimos focar.

E este é um aspecto a ter em conta: a distância focal é o grande truque de uma boa imagem e para obtê-la temos quase de colar a câmara ao objecto e tentar não tremer a mão.  Mas vale a pena o esforço!

Podemos captar com uma ampliação de 30 ou 60X, mas na verdade, pouca diferença faz pois já estamos num limite. De salientar que também podemos filmar, mas é uma tarefa quase impossível a não ser que tenhamos dois tripés, um para o OPPO e outro para o objecto.

Se tiverem oportunidade de experimentar numa loja, façam-no. Levem é o cartão de crédito…

Ponto menos bom para o Assistente AI que cria alguns artefactos digitais e puxa demasiado certas cores. Há que ter cuidado.

Contudo, com um modo vídeo 4K a 60 fps, tudo o que é menos bom depressa é esquecido.

O modo HDR+ é uma mais valia mas os 10 bit são mesmo para os mais profissionais conseguirem perceber a diferença. A olho nú, é difícil notar a diferença entre 8 e 10 bit.

Exemplos de um pequeno novo mundo

Conclusão

Fiquei apaixonado pelo novo porta estandarte da OPPO, marca que chega a Portugal com dinheiro para gastar e mercado para conquistar. Num repente, tem um modelo que consegue ser equiparado a muitos topos de gama, com um design peculiar e opções bem pensadas.

Se o preço fosse abaixo dos mil euros, seria um adversário à altura dos modelos que, tradicionalmente, estão no topo da pirâmide.

Com Android 11 e ColorOS na versão 11.2, é muito rápido e dá gosto usar. Tem uma pequena aba lateral com atalhos, mas infelizmente, o sensor ID é um dos defeitos pois está colocado demasiado baixo.

O som é óptimo com duas boas colunas e o ecrã, bom, o ecrã é pura e simplesmente um glorioso espectáculo de luz, cor e brilho.

Ah, por último, já é 5G, portanto, à prova dos próximos desenvolvimentos.

Parabéns, OPPO.

Ver lista das características técnicas

PVP: 1,199,99€

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado.