Os gravadores de dados de eventos, também conhecidos como “caixa negra“, foram actualizados para a era dos carros autónomos, ou seja, aqueles que funcionam sem um ser humano ao comando, como um “tradicional” piloto automático de avião.

O que há de novo

O IEEE publicou directrizes para dispositivos internos que rastreiam o desempenho de veículos rodoviários autónomos.

Actualização da “caixa negra” para carros autónomos

Os aviões, alguns carros e a maior parte dos camiões possuem gravadores de dados de eventos que gravam o comportamento momentâneo para estudo no caso de um acidente. A nova especificação exige que veículos com capacidade de autonomia de Nível 3 ou superior, que podem “guiar” sozinhos, mas que ainda exigem um motorista para assumir o controlo, sejam equipados com um gravador dedicado às funções de direcção automatizada.

Foi criado um grupo de trabalho que se reunirá no final deste ano para discutir revisões adicionais que abordem assuntos como segurança cibernética e protocolos de acesso aos dados gravados.

Este gravador regista quando a função de direcção autónoma de um veículo é activada ou desactivada, quando a acção do motorista se sobrepõe ou quando ela se sobrepõe à acção do motorista. O gravador também grava os dados quando o veículo não se consegue manter na faixa de rodagem, inicia ou termina uma manobra de emergência, sofre uma avaria grave ou colide com outro objecto. A entrada mínima do log inclui um evento, a causa do evento, a data e hora.

Dos airbags a todos os parâmetros

Este tipo de equipamento tornou-se num elemento fixo há décadas como uma forma de avaliar o desempenho dos airbags de segurança. Hoje, registam parâmetros como velocidade, aceleração e travagem em 99% dos novos veículos nos EUA. Serão obrigatórios nos veículos novos na União Europeia a partir de 2024.

À medida que mais sistemas de direcção autónoma chegam às estradas, as preocupações com a segurança aumentam. Os gravadores de dados de eventos ajudam a esclarecer os contratempos, e os dados resultantes podem ajudar as autoridades, marcas e clientes a entender o papel, se houver, desempenhado pela tecnologia. Embora a conformidade seja voluntária, os padrões IEEE são influentes e amplamente seguidos.

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *