comunicado de imprensa:

A Priberam é uma das cinco empresas europeias no consórcio SELMA, cujo objetivo é criar uma plataforma multilingue de código aberto e desenvolver novos métodos de Inteligência Artificial para treino de modelos de linguagem. O projeto foi selecionado, entre 55 propostas, para apoio pela Comissão Europeia, tendo-lhe sido alocado um orçamento de 3,5 milhões de euros.

Com este projeto, pretende-se criar uma plataforma que permitirá a profissionais e entidades de monitorização de média, bem como aos jornalistas, pesquisar, monitorizar e organizar quantidades massivas de dados e conteúdos.

Além disso, a plataforma irá também permitir o enriquecimento de conteúdos audiovisuais através da transcrição, tradução, dobragem e legendagem automáticas, desta forma tornando estes conteúdos mais acessíveis a diferentes públicos, independentemente do seu idioma nativo.

A plataforma foi desenhada para processar grandes volumes de dados e irá incluir um sistema de Inteligência Artificial de (auto) aprendizagem capaz de partilhar informação sobre fluxos de dados, ao mesmo tempo que mantém o valor inerente de cada idioma através de abordagens inovadoras.

Carlos Amaral, CEO da Priberam, explica que “a ideia consiste em criar um espaço comum multi-idioma no qual o sistema estará constantemente a recolher e analisar dados no idioma original e, subsequentemente, será capaz de realizar a sua tradução para outra língua sempre que necessário”.

Para este responsável, “este projeto é mais uma prova do valor das tecnologias de Inteligência Artificial que a Priberam tem vindo a desenvolver ao longo dos últimos anos, nomeadamente nas áreas do processamento de linguagem natural e de aprendizagem automática, e que tem já sido integrado noutros grandes projetos internacionais”.

Este consórcio, do qual a Priberam faz parte, é liderado pelo broadcaster internacional Deutsche Welle que produz conteúdos de vídeo em mais de 30 línguas e inclui mais três instituições: o Laboratório Informático da Universidade de Avignon, o Instituto de Matemática e Ciência da Computação da Universidade de Letónia e o Instituto Fraunhofer para a Análise Inteligente e Sistemas de Informação.

O projeto SELMA terá uma duração de três anos e o objetivo de criar uma plataforma de código aberto deverá estar concretizado até ao final de 2023.

O projeto SELMA é financiado pela União Europeia, no âmbito de uma Ação de Investigação e Inovação (RIA), do Horizonte 2020, acordo n.º 957017.

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *