O Microsoft Surface Pro estará em destaque na Comic Con Portugal 2022, que se realiza no Altice Arena, entre os dias 8 e 11 de dezembro.

Microsoft Surface Pro

A Microsoft Surface volta assim a marcar presença no evento e regressa pela mão do artista Miguelanxo Prado, que desenhou o cartaz da 8ª edição do evento num Surface Pro.

Miguelanxo Prado é um artista galego e presença assídua no leque de convidados de Banda Desenhada nas várias edições do evento, tendo assinado o cartaz que tem como mote a mensagem “WE CAN BE HEROES” numa referência directa a David Bowie.

Prado

O Surface nas mãos de um génio como Miguelanxo Prado

O primeiro contacto de Miguelanxo Prado com o Surface foi em 2014, aquando a primeira edição da Comic Con Portugal, e tem sido um dos seus equipamentos favoritos para desenhar.

“Sempre gostei de computadores, comecei a programar muito novo, pelo que a minha relação com o digital é anterior a toda esta evolução tanto de hardware como de software. Sempre usei computadores como ferramenta de apoio ao meu trabalho, mesmo quando os processos eram maioritariamente manuais. A minha relação com Surface especificamente surge na primeira Comic Con Portugal, e foi ali que encontrei a ferramenta que precisava”, comenta o artista.

“A minha profissão obriga-me a viajar muito, participo em festivais, tenho equipas de produção de animação deslocadas, o meu sistema de trabalho precisa desta portabilidade. Um laptop não é, para mim, a ferramenta ideal, porque crio muitas vezes no aeroporto, no avião, fora de casa. Aqui consigo correr todo o software que preciso – desde processadores de texto, a programas gráficos e de ilustração”, refere ainda.

Software preferido?

Para surpresa de muitos, para este artista que é também director do festival “Viñetas desde o Atlántico, que se realiza anualmente na Corunha, o programa preferido no seu dispositivo não é nenhuma das ferramentas que dão vida à sua arte, mas sim o Microsoft OneNote.

“Estou apaixonado pelo OneNote. É a solução perfeita para pôr em ordem e manter o controlo de todos os projetos que tenho. Tenho tudo na nuvem e consigo aceder a tudo o que faço a partir dali. Muitas vezes faço até esboços no OneNote. Se me obrigassem a escolher entre Clipstudio, Photoshop, Indesign ou outro programa… se calhar escolhia o OneNote”, acrescentou.

Surface Laptop Go y Surface Pro X SQ 2

Microsoft Surface comemora 10 anos

A linha Surface assinala em 2022 o seu 10º aniversario, e quando foi criada tinha como objetivo inspirar a criatividade, a conexão e acelerar o potencial humano.

Pretende ser uma ferramenta que permita às pessoas re-imaginar a forma como trabalhamos, como jogamos, como nos ligamos, e como criamos.

Miguelanxo Prado subscreve este propósito quando pensa na transformação digital da arte:

“O fundamental que o digital aportou aos processos criativos foi a interoperabilidade. Quando os processos eram totalmente analógicos, era muito difícil associar a fase do desenho à da criação de movimento ou animação.

E quando não tínhamos acesso a estruturas profissionais – como estúdios – produzir a este nível era muito difícil. Hoje em dia, o digital permite a qualquer pessoa ter acesso a software que há anos era de acesso exclusivo a profissionais.

O mundo digital permite interação perpétua. Já não conseguiria trabalhar num mundo exclusivamente analógico. A criatividade não pode ser limitada por isto. Agora, quem quiser ser ilustrador pode focar 99% das suas capacidades na criação artística, porque as ferramentas existem e estão acessíveis a todos”, disse ainda.

Miguelanxo Prado

Prado abrirá o evento no dia 8 de dezembro

Miguelanxo Prado é argumentista e desenhador. Estudou arquitetura e antes de se votar à Banda Desenhada dedicou-se à pintura e à escrita.

Revelação da BD espanhola em 1988 com o seu primeiro álbum Mundo Cão, a sua carreira tem sido recheada de sucessos.

traco de giz edicao pipoca e nanquim miguelanxo prado capa Copia

Em 1993 publica o álbum Traço de Giz, que recebeu o prémio dos livreiros BD 93, o Alph-art do melhor álbum estrangeiro de Angoulême e o prémio especial do Festival de Sierre em 1994.

Em 1995 estreia-se na BD infantil com a adaptação da célebre obra de Prokofiev (1936) “Pedro e o Lobo”. Da sua versátil carreira fazem parte outras obras notáveis como Fragmentos da Enciclopédia DélficaStratosCrónicas Incongruentes e Quotidiano Delirante (3 volumes), e Tangências.

Descubra tudo sobre Surface Pro 9 aqui, já disponível no mercado português.

Veja o vídeo aqui.

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *