A Philips lança nova geração de bio-sensores wearable para detecção precoce do agravamento da situação clínica de pacientes, incluindo vigilância clínica para a COVID-19

É sempre de bom tom escrever (ou mencionar) a Royal Philips, a líder mundial em tecnologias da saúde, que também assina Philips para os segmentos B2B nos quais foi uma gigante ímpar.
Afinal, quem nunca teve um aparelho da Philips, seja um televisor ao rádio de pilhas?

Mas a Royal Philips voltou-se há muito para a saúde., desde utensílios para bebés até respiradores para quem sofre de apneia do sono.

Philips Biosensor BX100
Philips Biosensor BX100

O novo Biosensor

Desta vez, anuncia o bio-sensor wearable Philips Biosensor BX100 que permite ajudar a gerir pacientes confirmados e suspeitos com COVID-19 no hospital.

Esta nova geração de bio-sensor wearable sem fios reforça a vigilância clínica na detecção do agravamento de pacientes, ajudando os médicos a detectar riscos, de forma a poderem intervir mais cedo e ajudar a melhorar o cuidado dos pacientes. Esta solução já recebeu o selo CE e a primeira instalação está actualmente a ser utilizada no Hospital OLVG, na Holanda, para ajudar a gerir a triagem e a vigilância clínica de pacientes com COVID-19.

Como funciona

O Biossensor Philips BX100 foi projectado para trazer uma nova abordagem à medição de sinais vitais, apoiando a vigilância de pacientes de menor gravidade, passando de unidades de cuidados intensivos para áreas de cuidados gerais de menor vigilância num hospital.

Este biossensor leve e descartável é um adesivo de 5 dias para utilização única que pode ser integrado numa plataforma para monitorizar vários pacientes, em vários quartos.

Criado para incorporar os fluxos de trabalho clínicos existentes para visualização e notificações em dispositivos móveis, o dispositivo não requer limpeza ou carregamento.

Philips Biosensor BX100
Philips Biosensor BX100

Facilidade de utilização

O biossensor wearable sem fios, para utilização por parte de profissionais de saúde em pacientes com 18 anos de idade ou mais, adere discretamente ao peito para recolher, armazenar, medir e transmitir a frequência respiratória e a frequência cardíaca a cada minuto – os dois principais elementos de previsão de agravamento – bem como parâmetros contextuais, como postura, nível de actividade e deambulação.

A nova geração de biossensor da Philips faz parte do vasto portfólio de soluções Philips para lidar com o agravamento do paciente, apoiando os cuidados gerais em todo o mundo com inteligência clínica. Para mais informações sobre como a Philips está a enfrentar globalmente o Coronavírus, visite hub COVID-19 da Philips.

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *